Baleia-de-bryde é encontrada morta no canal de São Sebastião

Carcaça do animal foi enterrada na Praia Grande; futuramente, ossada será montada para exposição em local público

Uma baleia-de-bryde apareceu morta na manhã de quinta-feira (1) na travessia das balsas, no canal entre São Sebastião e Ilhabela, no Litoral Norte de São Paulo. A equipe do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) do Instituto Argonauta foi acionada, se dirigiu ao local e encontrou o animal há aproximadamente uma milha da região conhecida como “Ponta das Canas”, de Ilhabela. Devido à forte correnteza, os técnicos optaram por ancorar o animal no local para definição da destinação, em condições melhores de mar e tempo.

Com a parceria da Prefeitura de São Sebastião, por meio da Secretaria de Serviços Públicos (SESEP) e com apoio das Secretarias de Meio Ambiente (SEMAM) e Turismo (SETUR), a carcaça foi rebocada nesta sexta-feira (2) para um encalhe controlado na Praia Grande de São Sebastião (Balneário dos Trabalhadores). No local, os veterinários realizaram os exames necessários e o animal foi enterrado, de forma a preservar sua ossada para futuramente ser montada e exposta em local público.

Ainda não há informações sobre a causa da morte da baleia, mas a equipe do Argonauta está realizando a necropsia e o material coletado será enviado para exames complementares.

O Instituto Argonauta

O Instituto Argonauta foi fundado em 1998 pela Diretoria do Aquário de Ubatuba e reconhecido em 2007 como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público). O objetivo é a conservação do Meio Ambiente, em especial dos ecossistemas costeiros e marinhos. Para isso, apoia e desenvolve projetos de pesquisa, resgate e reabilitação da fauna marinha, educação ambiental e resíduos sólidos no ambiente marinho, dentre outras atividades.

Sobre o PMP-BS

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), que tem como um dos executores o Instituto Argonauta, visa o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na Bacia de Santos, conduzido pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O objetivo é avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, por meio do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

O projeto é realizado desde Laguna/SC até Saquarema/RJ, sendo dividido em 15 trechos. O Instituto Argonauta monitora o Trecho 10, compreendido entre São Sebastião e Ubatuba. Para mais informações consulte: www.comunicabaciadesantos.com.br.

Seja um Argonauta

Venha conhecer o Museu da Vida Marinha em Ubatuba, aberto diariamente, na Avenida Governador Abreu Sodré, 1067 – Pereque-açu. Para acionar o serviço de resgate de mamíferos, tartarugas e aves marinhas, vivos debilitados ou mortos, entre em contato pelo telefone 0800-642-3341 ou do Instituto Argonauta: (12) 3833.4863 – 3833.5789/ (12) 3834.1382 (Aquário de Ubatuba) / (12) 3833.5753/ (12) 99705.6506 e (12) 99785.3615 – WhatsApp.

Também é possível baixar gratuitamente o aplicativo Argonauta, disponível para os sistemas operacionais iOS (APP Store) e Android (Play Store). No aplicativo, o internauta pode informar ocorrências de animais marinhos debilitados ou mortos em sua região, bem como informar problemas ambientais nas praias, para que a equipe do Argonauta encaminhe a denúncia para os órgãos competentes.