Turismo lança cartilha virtual de estruturas náuticas

Guia traz modelos de rampa e piers e passo a passo jurídico para fomentar o turismo náutico às margens do mar, rios e represas do estado

A Secretaria de Turismo e Viagens de São Paulo lançou nesta quinta-feira (5) uma cartilha virtual de estruturas náuticas para municípios que desejam desenvolver o segmento. O guia traz modelos de rampa e piers além das recomendações jurídicas para instalação dessas estruturas. O objetivo é fomentar o turismo náutico à beira de rios e represas e aproveitar o potencial do estado.

Produzida em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA), a cartilha está hospedada na plataforma Melhores Práticas (www.melhorespraticasturismo.com.br/). “O turismo náutico é a soma dos ativos e atrativos das águas e terra, e tem grande potencial de geração de empregos no Estado. São mais de 120 municípios com vocação para o setor”, afirma o secretário de Turismo e Viagens, Vinicius Lummertz.

Estima-se que uma instalação de apoio náutico com 300 embarcações tem impacto direto, indireto e induzido de R$ 141 milhões por ano na economia local e garante 780 postos de trabalho. Os empregos são gerados de forma direta em instalações como marinas, estaleiros, fabricantes e fornecedores de embarcações, além da cadeia indireta, como hotéis, restaurantes, compras e entretenimento que servem de apoio.

São Paulo tem 630 quilômetros de costa marítima, cerca de 4.200 quilômetros de rios navegáveis e mais de 50 reservatórios (lagos e represas) com grande potencial turístico. O Estado já está desenvolvendo dez circuitos náuticos envolvendo o mar, rios e represas consolidadas, como Circuito Pontal 2030, Circuito Náutico da Hidrovia Tietê, Circuito Náutico do Rio Grande, Circuito Náutico Jurumirim, e seis rotas compostas, como o da costa paulista, que liga o Vale do Ribeira à Baixada Santista e ao Litoral Norte.