Cardim, é um ex-jogador brasileiro de futebol.

Por Maria Antônia M. C. Zonta

Luiz Carlos de Mello Cardim, 61 anos, mais conhecido como Professor Cardim, nasceu em Caraguatatuba/SP em 20 de agosto de 1960 e tem uma história de amor com o futebol desde a infância.

Com 13 anos de idade, passou no “peneirão” e foi jogar no Santos Futebol Clube, na categoria infantil, depois juvenil e, aos 18 anos, tornou-se jogador profissional no próprio Clube, jogando lá entre 1978 a 1980.

Em 1981, jogou no time XV de Jaú, em Jaú interior de SP.

A partir de 1983, jogou em várias times: Internacional, Ferroviária, Noroeste, Portuguesa, Operário de Campo Grande, Vitória da Bahia e Santa Cruz, dentre outros importantes times brasileiros.

Encerrou sua carreira em 1993, voltando para São Sebastião, cidade vizinha de Caraguatatuba, onde começou a trabalhar nos setores público e político.

Em São Sebastião, exerceu diversas funções, tais como Professor de Educação Física, Chefe de Divisão de Esportes, até alcançar a Secretaria de Esportes, sendo Secretário durante dois mandatos.

Vale ressaltar, que também foi Secretário da mesma pasta na Cidade vizinha, Caraguatatuba.

Hoje atua como Chefe da Secretaria de Esportes de São Sebastião e é Primeiro Suplente de vereador da cidade pelo partido PSDB.

Uma de suas maiores alegrias e orgulho foi ter jogado com atletas de alta qualidade e renome nacional, que fizeram com ele a primeira linha do futebol Brasileiro. Atletas estes e companheiros de clube, como Pita, João Paulo, Juari e também ter treinado várias vezes com o rei do futebol, o grande Pelé, mesmo após sua aposentadoria.

Decidiu encerrar sua carreira futebolística quando sentiu que sua família precisava muito de sua presença, pois, por ter morado em vários estados do Brasil, nem sempre sua família conseguia acompanhá-lo.

“Família é o maior projeto de Deus, e ter um filho com deficiência ou especial foi a maior prova de amor que recebi”

“No início brigávamos com Deus, nos revoltávamos, perguntávamos por que conosco? Por que Deus fez isso com nossa família? Mas com o passar do tempo, entendemos e passamos a nos sentir privilegiados por termos um anjo em nossas vidas. É muito amor, principalmente por parte dele (Bernardo – meu filho mais do que especial) que não exige nada em troca, apenas doa amor a quem está à sua volta.”

“Bernardo nos ensinou que o amor, o carinho e principalmente a felicidade estão nas ações mais simples da nossa existência. Ensinou-me a ser guerreiro e acreditar que tudo podemos quando estamos alinhados com Deus.”

Cardim fica todo orgulhoso e apaixonado quando fala de sua esposa, Paula. “Tenho uma esposa maravilhosa que conheci muito nova, ela com 16 anos e eu com 23 anos”.

Tiveram dois filhos, Michelle e, depois, Bernardo (o Bê).

Infelizmente, perderam um filho quando Paula, sua esposa, estava em seu sétimo mês de gestação.

Família linda, com hábitos simples, mas de muita personalidade, verdade e fé.

“Estamos juntos há 37 anos, e para completar nossa alegria, Michelle, minha primogênita, nos presenteou com um netinho, o Emannuel, que significa: ‘Deus conosco!’, que foi mais um milagre em nossas vidas.”

“Sou muito brincalhão e gosto muito de ‘pegar no pé’ de todos(rsrsrs)… Tenho um genro, Lucas, que compra as ideias também e me ajuda a atormentar a todos!”

“Gosto de Esportes, de ler muito, mas tenho horror a gritos (rsrs).”

Hoje, Cardim têm um programa semanal que engloba vários assuntos, chamado “Um Cardim de Prosa”, no Facebook, todas as terças-feiras, às 18h50m, onde recebe diversos convidados que acrescentam muitas informações, tendo mais um motivo para ficar antenado sobre todas as notícias.

Cardim desenvolveu vários projetos ligados ao futebol, sendo um deles a “Escola Soccer”, que atendeu alunos de Caraguatatuba, São Sebastião, Ilhabela e até de Ubatuba, cidades de onde continua recebendo carinho e o respeito de todos.

Ao ser questionado sobre o futebol da atualidade, Cardim disse que os jogadores da velha guarda eram mais talentosos se comparados aos atuais, pois estes dão prioridade ao preparo físico, mas, deixa claro, existem as exceções.

Voltando a falar sobre Bernardo, seu filho, complementa dizendo que ele necessita de muitos cuidados, mas aprendeu a lidar com suas limitações. “É guerreiro e, embora não ande, não fale, nós entendemos tudo.”

A família conta com a ajuda de uma funcionária, que os auxilia há anos nos cuidados com Bernardo. “Ele está sempre arrumadinho e cheiroso. É super agarrado comigo. Tem horas que dá vontade de jogar na parede (Kkkkkk)”.

“Vivo de sonhos. Sempre digo que só temos uma idade: a idade de estarmos vivos! E, enquanto eu tiver saúde, vou construindo meus sonhos, que não são pequenos.”

Ao ser questionado sobre o Brasil que gostaria de ver, respondeu: “Um Brasil humano, onde o respeito deverá estar acima de tudo. Estamos nesse mundo mais para servir, esse é o meu lema de vida. Porém, só atingiremos este nível quando a educação for realmente prioridade.”

E para finalizar: “Aqui vai uma mensagem para os pais e para aqueles meninos que sonham em ser jogadores de futebol profissional: persistência, coragem e, principalmente, atenção, pois quando aparecerem professores, empresários, pedindo dinheiro, cuidado que é golpe. O caminho é o inverso. Não dêem dinheiro para ninguém. Cuidado, pois o mundo do futebol não é um conto de fadas, e apenas poucos vencem”.