CIAM de Caraguatatuba completa 5 anos com mais de 600 mulheres atendidas

O Centro Integrado de Atendimento à Mulher (CIAM) Benedita Arcanjo Aparecido de Oliveira – ‘Dita Marques’, de Caraguatatuba, completou nessa quinta-feira, 24 de novembro, cinco anos de inauguração.

Desde 2017, o espaço voltado para o atendimento das mulheres, proporcionou a mudança na vida de 602 mulheres atendidas.

“Estava em um quarto escuro, triste e chorando. Até que conheci o CIAM. Fui salva pelo amor, hoje me vejo mais fortalecida, mais alegre e o quarto está mais claro”, disse a referenciada F.M.

Apenas em 2022, foram 120 mulheres que precisaram do acolhimento do CIAM. No ano, foram 300 atendimentos individuais realizados, 152 acompanhamentos individuais e 32 em grupos.

“Quando cheguei chorava mais que tudo, hoje estou feliz, e quero viver. Tenho que aproveitar meus momentos pois nunca vi pra mim, no CIAM  soltei um  pouco de mim, e sou outra pessoa. Me sinto totalmente diferente”, relembra e comemora M.J.

O prefeito Aguilar Junior, autor e idealizador do CIAM, avalia a importância dos atendimentos. “É um projeto idealizado no acolhimento e bem-estar das mulheres vítimas de violência, com foco no desenvolvimento e fortalecimento de sua autonomia. Esses cinco anos de implantação reforça a conquista de um espaço que se preocupa na mudança de vida deste público”, destaca.

A moradora de Caraguatatuba, Edilene Melo, que já passou pela rede de acolhimento do município após sofrer violência doméstica, escreveu livros de apoio às mulheres e partilhou um pouco da sua experiência. “Caraguá tem uma rede de apoio fantástica. O CIAM e seus atendimentos geram frutos importantes para a vida de cada mulher que passa ou passou por abusos e violências domésticas”, disse.

O CIAM busca fortalecer e resgatar a autoestima e autonomia das mulheres, com foco na emancipação e empoderamento para que saiam da condição de violência.

“Tenho ansiedade, depressão, e síndrome do pânico, herdados de um relacionamento. Algumas mulheres me ajudaram a sarar essas feridas. O CIAM devolveu minha vontade de viver e de fazer a diferença na vida de outras mulheres”, explica A.L.

As denúncias chegam ao CIAM por meio da Delegacia da Mulher (DDM), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou por demanda espontânea, quando a própria mulher busca ajuda. O processo de acolhimento é realizado em duas por etapas: avaliação e acompanhamento.

“Quando cheguei vivia chorando, com medo e agora estou mais forte, o CIAM me ajudou muito e por isso continuo participando das ações”, enaltece L.M.

Na avaliação, é classificado o risco do caso e decidido junto com a mulher as medidas que serão tomadas. Após esse primeiro contato, a mulher passa por orientação com assistente social e psicóloga. Já o acompanhamento é realizado por meio de atendimentos individualizados, visita domiciliar e grupos.

Para denunciar qualquer ato de violência contra a mulher, ligue 180. Esse número é gratuito, confidencial (anônimo) e funciona 24 horas, todos os dias da semana, inclusive finais de semana e feriados, e pode ser acionado de qualquer lugar do Brasil.

O CIAM está localizado na Avenida Cuiabá, 400, no Indaiá. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h. O telefone de contato é o 3883-9908.

Serviço:

– Delegacia de Defesa da Mulher – DDM – Avenida Maranhão, 341 – Jardim Primavera – Telefone: 3882-3242 – Horário de atendimento: Segunda a sexta, das 9h às 18h

– Centro de Referência Especializado de Assistência Social – Creas – Rua Senador Feijó, 165 – Jardim Aruan – Telefone: (12) 3886-2960 – Horário de atendimento: Segunda a sexta, das 8h às 17h