Prefeitura de São Sebastião alerta para problemas causados por cães nas praias

A Prefeitura de São Sebastião, por meio do Departamento de Fiscalização Ambiental da Secretaria Meio Ambiente (SEMAM), informa que um dos problemas encontrados com maior frequência nas praias é a presença de cães, o que é proibido pela Lei Municipal 848/92.

As razões para a proibição são várias e as restrições objetivam assegurar tranquilidade e preservar a saúde das pessoas, aves migratórias, animais silvestres e dos próprios bichinhos.

O professor do Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootécnica da Universidade São Paulo (USP), Marcos Bryan Heinemann, aponta o risco para os pets, que podem ter desidratação, insolação, problemas dermatológicos e alérgicos por conta da areia, além de poder ocorrer acidentes, entre os humanos e animais, ou entre animais.

A médica veterinária responsável pelo Centro de Controle de Zoonoses do município, Marcela Christoff, aponta que deve ser acrescida a essa questão o descarte de resíduos. “Restos de alimentos e porções sem o correto descarte atraem cães errantes, abandonados, famintos”, diz.

É importante ressaltar que as fezes dos cães podem acarretar várias doenças, como o popularmente chamado “bicho geográfico”. “Suas larvas ficam na areia e podem ser transmitidas tanto para adultos quanto para crianças”, assim como o “bicho de pé”, uma pulga de suínos que pode acometer o cão e causar danos à saúde dos seres humanos.”