Vereadores de São Sebastião pedem cancelamento do sistema de conexão do transporte público

Os vereadores de São Sebastião solicitaram, ao prefeito do Felipe Augusto, o “cancelamento do sistema de conexão do transporte público implementado pelo Poder Executivo sem qualquer informação aos munícipes, principais interessados em um transporte público de qualidade”.

É o que aponta ofício protocolado no gabinete do prefeito, nesta quarta-feira, 14, e assinado por todos os parlamentares presentes à sessão de terça-feira (13).  Eles pedem que “seja cancelado o sistema de integração implantado sem sucesso algum, com o imediato retorno das linhas e horários anteriores, uma vez que inúmeros usuários do transporte público estão sendo prejudicados neste momento” e requerem, ainda, “aumento das linhas e horários do transporte público para melhor atendimento aos munícipes”.

A medida visa procurar uma solução para os problemas enfrentados pela população com a mudança nos itinerários do transporte, o que resultou em reclamações da Costa Sul à Costa Norte e manifestação de moradores do Jaraguá que protestaram na última sessão da Câmara Municipal.

O ofício aponta que, desde o último dia 6, os vereadores têm recebido inúmeras reclamações sobre o sistema integrado do transporte público, sendo que a “população é a única que vem sofrendo com esse novo sistema que está sendo implantado”.

No documento, eles ressaltam que “até o momento, não há sequer um terminal de conexão construído para abrigar a população que vem ficando no tempo com sol e chuva para aguardar os ônibus”. O ofício cita, ainda, a preocupação com esse período de alta temporada em que “muitas pessoas conseguem empregos e a grande confusão que vem sendo efetuada no transporte público traz inúmeros problemas para a população”.

Requerimento

Além do ofício, foi aprovado o Requerimento nº 547/2022, de autoria do vereador Marcos Fuly, que solicitou, ao Executivo, informações acerca do contrato firmado entre o Município e a empresa de ônibus SOU, “assim como a respeito da efetiva fiscalização/acompanhamento da execução do referido contrato, especialmente quanto à qualidade dos ônibus, o número de passageiros transportados e outros”.

O documento aponta que, “na última sessão, alguns munícipes compareceram para questionar as alterações realizadas pela empresa de ônibus, as quais foram extremamente prejudiciais para o munícipe, afetando, inclusive, o horário de chegada ao trabalho”, apontou Fuly.

O vereador comentou, ainda, que “as críticas à qualidade do serviço prestado pela empresa Sou não são de hoje. Já faz meses que os munícipes questionam a qualidade e o conforto dos veículos que estão circulando, assim como os atrasos ao chegarem nos pontos de ônibus”.

Fuly questionou sobre a fiscalização, diária, dos ônibus em circulação e pediu relatório dos últimos três meses, além de informações sobre o índice de passageiros equivalente ao km (IPK) nos últimos três meses, quais os valores pagos pelo Município a título de subsídio à empresa, nesse período, e se o Executivo, por meio da Segur, já tinha notificado e aplicado multas à empresa devido às falhas no serviço prestado.