Vendas do varejo na Páscoa devem subir 4,5% e chegar a R$ 3,44 bi

O comércio varejista do Brasil projeta faturar, este ano, R$ 3,44 bilhões em vendas relacionadas à Páscoa. Se conformada, a projeção deve representar um salto de 4,5% na comparação com o ano passado, já descontada a inflação. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (13) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).  

Os estados que mais devem se destacar com vendas no período são Santa Catarina, com elevação de 7,4%; e Minas Gerais, com salto de 7,2%. Já quanto ao volume de vendas, os maiores valores devem ser percebidos em São Paulo, com um total estimado em R$ 948,08 milhões. 

Inflação é de 0,83% em fevereiro, puxada pela alta nos grupos de Educação

Conta de luz: consumidores devem pagar R$ 37 bi em subsídios em 2024

Outros valores expressivos devem ser registrados em Minas Gerais (R$ 352,57 milhões), Rio de Janeiro (R$ 243,19 milhões) e Rio Grande do Sul (R$ 194,18 milhões). Juntos, esses estados podem responder por 51% do volume financeiro a ser gerado pela Páscoa de 2024. 

A expectativa de vendas pelo varejo nesta época do ano leva em conta, entre outros fatores, o volume de importação de produtos típicos. De acordo com o levantamento da CNC, a quantidade importada de chocolates, por exemplo, em 2024, chegou a 3,35 mil toneladas, ou seja, um salto de 21,4% em relação a 2023. Outro produto que costuma ser importado nesse período, o bacalhau, apresentou elevação significativa no volume importado, com alta de 69,9% frente a Páscoa do ano passado. 
 

Pixel Brasil 61